sábado, 30 de março de 2013

Vestes



O aceito como minhas vestes -
Cobrindo ou despindo minhas vergonhas.
                                               
O aceito como se fosse minha própria carne;
                                   Meu sangue;
                                   Meu ego em demasia.

Aceito tão somente porque és meu ser habitando outra pele,
E me completas quando em suma,
Penetra minhas lacunas.

4 comentários:

  1. Sem palavras para descrever o sentimento vivido ao ler...

    ResponderExcluir
  2. Puta que pariu !
    Que poema bom da porra !
    Mil desculpas, mas confesso que não encontrei adjetivos no meu pobre vocabulário para definir a beleza desses teus versos. Me causa espanto, tamanha beleza estética e lirica.

    ResponderExcluir